fbpx

Como é calculado o valor do seguro automóvel?

Muitos não sabem como funciona a precificação do seguro do carro, hoje você vai descobrir como é calculado o valor do seguro automóvel?

Como é calculado o valor do seguro automóvel?

Já aconteceu com você de não entender o preço do seguro? Ou por que o seguro do carro ficou tão caro? Por que com o antigo dono era mais barato o seguro? Muitas pessoas não sabem muito como funciona a precificação do seguro do carro, então hoje você vai descobrir de uma vez por todas como é calculado o valor do seguro automóvel?

Para aqueles que já cotaram o seguro ao menos uma vez, sabe que é comum o corretor de seguros pedir várias informações, como dados do carro a ser segurado, desde modelo e ano do carro, até placas e chassis. Também é comum ter que fornecer dados básicos pessoais e de endereço, e um dos pontos mais importantes, a forma de uso do carro.

Chamado de Questionário de Avaliação de Risco (QAR) é por ele que será informado como o carro é utilizado, quem utiliza, se fica guardado em garagem, o quanto roda, informações básicas para as seguradoras podem precificar o risco.

A parte do questionário é considerada uma das mais importantes e impactantes no preço do seguro auto, então é muito importante que o segurado forneça todas as informações corretamente, sem omitir nada. Pois se houver algum sinistro, e a seguradora ver alguma desinformação poderá ser prejudicial para o segurado.

Então, vamos lá:

Dados do segurado e principal condutor do veículo

Nesta primeira parte serão analisados o CPF, data de nascimento e estado civil, tanto do segurado como do principal condutor. Estes dois podem ser pessoas diferentes, o segurado nada mais é quem contrata o seguro, então a apólice será emitida no nome do segurado. Este pode ser pessoa física ou jurídica.

O principal condutor, como o próprio nome diz, é o motorista que mais dirige o carro, no caso é levado em consideração cerca de 85% do tempo, cerca de 6 dias na semana.

Neste caso de dados de pessoa física a seguradora irá analisar primeiramente a data de nascimento, pois a tendência é que quanto mais velho a pessoa seja, mais tempo de carta de motorista possui, logo mais experiência dirigindo carros essa pessoa vai ter.

A taxa de acidentes com carros ainda é maior com jovens entre 18 e 25 anos, esta faixa etária é a mais cara para se contratar seguro auto.

O sexo da pessoa também é levado em consideração no preço do seguro, pois historicamente, segundo dados, homens sofrem mais acidentes de trânsitos que mulheres. Especialistas explicam que o sexo feminino quando atrás do volante tem uma tendência de serem mais cautelosas.

Outro fator importante que impacta no preço do seguro é o estado civil, então se o principal condutor for solteiro a seguradora poderá precificar mais caro, pois a tendência de sair é maior, já pessoas casadas ou em união estável possuem uma tendência de sair menos, então o seguro acaba ficando menor que na situação anterior.

Uso do carro – Particular, táxi, motorista app, frete, auto escola, entre outros.

Outro fator que irá influir bastante no preço final do seguro é o uso do carro, ou seja, como o principal motorista irá utilizá-lo. O uso mais comum é o particular, aquele em que usa o carro para benefício próprio do condutor, utilizado no dia a dia, para ir e voltar ao trabalho, uso cotidiano mesmo, como é mais conhecido.

Geralmente este uso é o mais em conta, por ser o que o carro fica menos exposto ao risco em comparação com os outros usos. Como táxi por exemplo, que o carro irá rodar no dia a dia muito mais que um carro de uso convencional, o mesmo serve para aqueles que irão utilizar o carro em transporte de passageiros por aplicativo, como Uber, 99, Cabify, entre outros aplicativos.

Seguro Taxi Neon Seguros

A lista de diferentes usos dos carros é bastante, é extremamente importante a companhia saber qual o uso exato para poder precificar corretamente o preço do seguro auto.

Outros usos comuns são de carro para frete, que tem o objetivo de fazer transporte de mercadorias ou objetos. Também pode ser segurado aqueles veículos que são utilizados como meio de instrução para alunos por auto escolas.

Nestes casos o preço final do seguro tende a ser maior, isso porque o risco para a seguradora é mais caro. Visto que o veículo, seja carro, moto, van ou caminhão, é utilizado boa parte do dia, e muitas vezes por pessoa em fase de experiência ainda.

Garagem – Residência/Trabalho/Curso

A questão se o veículo fica guardado dentro de garagem fechada ainda é uma questão bem comum nas cotações de seguro para carro. Isso acontece pois, a seguradora analisa que se o carro fica na rua, principalmente durante o período de pernoite no endereço residencial, o risco do carro ser furtado é bem maior.

O risco não fica somente na questão do endereço residencial, também se enquadra no endereço de trabalho, que geralmente ocorre em período diurno. Semelhante ao que ocorre na questão do endereço residencial, se passa para o endereço comercial, pois se o automóvel fica dentro da garagem fechada no trabalho o risco de assalto é bem menor.

Também tem a questão de cursos e faculdades, que acaba aumentando também a diferença, pois é comum furtos a carros próximos a faculdades. Muito por conta que próximo a estas instituições ficam bastante carros estacionados nas ruas, principalmente no período da noite, por conta das turmas serem maiores neste período.

A precificação no seguro segue sempre a premissa que quanto maior o risco para a companhia, maior será o preço pago pelo segurado para ter a cobertura em seu veículo.

Um adendo bastante importante é que é comum segurados informarem que seu carro fica dentro de garagem no local de trabalho, porém não fica. Isso acontece pois, as vagas de frente ao estabelecimento, que não são fechadas, não possuem nenhuma proteção contra furto do carro, não são considerados garagem fechada para a seguradora.

Como este exemplo na imagem abaixo, se por exemplo, o segurado informa se que o carro fica dentro de garagem no trabalho, e o carro vier a ser furtado neste mesmo local, a seguradora não iria considerar esta vaga como local fechado e seguro para o veículo.

Como é calculado o valor do seguro automóvel?

Visita Clientes/Fornecedores

Outro fator que influencia bastante no seguro do carro é a questão se o veículo será utilizado para visitar clientes ou fornecedores. Isso ocorre pois, para aqueles que visitam estão mais expostos aos riscos de acidentes rodoviários, seja colisão ou até mesmo roubo.

Como já dissemos, quanto mais a seguradora analisar que o carro roda mais, o risco se torna maior, logo o preço final se torna mais elevado.

Condutores que fazem este uso, além de rodar mais, também tem a questão de estacionar o carro. Nem sempre quando realizamos uma visita conseguimos parar o carro em um estacionamento fechado ou uma vaga totalmente segura. Então com o veículo estacionado em uma rua, este fica suscetível a riscos cotidianos.

Reside com pessoas entre 18 a 25 anos de idade

Esta questão no questionário de avaliação de risco do seguro automóvel é bastante questionada pelos segurados. Esta pergunta geralmente vem separada em três pontos, o primeiro:

“Reside com o principal condutor pessoas entre 18 e 25 anos?” No caso a resposta pode ser sim ou não. Então, para as respostas que forem “sim” o risco se torna maior, por conta de pessoas desta faixa etária terem menos tempo de experiência dirigindo carros nas ruas.

Por mais que possa parecer uma generalização, pesquisas apontam que isto é sim um fato. Por mais que o jovem seja bom na condução de veículos, a experiência no cotidiano, a malícia no trânsito é bem menor que pessoas mais velhas.

Outra pergunta que aparece relacionada a esta é:

“Se reside com pessoas desta faixa etária, estas utilizam o carro frequentemente?” Isto acontece pois, por mais que resida com jovens desta idade, pode ser que eles não dirijam o carro, seja por não poder, não terem habilitação, ou mesmo já ter seu carro.

A última pergunta dentro deste tema, que também é levada em conta, é a seguinte:

“Qual sexo destas pessoas?” E aqui nesta questão se respondida pessoas do sexo feminino a avaliação do risco é menor, logo, pessoas do sexo masculino tem maior chance de acionarem o seguro.

O interessante é que todas estas questões abordada pelas seguradoras não são meras especulações e achismos, são dados registrados ao longo de anos de comercialização de seguros, e em todo território nacional

Endereço Residencial

O local que o segurado reside é considerado um dos fatores que mais altera na precificação do seguro automóvel. Isso ocorre pelo fato de cidades e bairros terem índices de furtos de carros bem mais elevados que quando comparados com outras regiões.

Exemplo disto é que em São Paulo algumas regiões possuem uma precificação mais alta, como zona leste, por ter comprovadamente mais índices de carros roubados anualmente, logo, um maior risco para a seguradora.

A própria cidade de São Paulo, por ser a maior do Brasil, é uma cidade cara para ter seguro de carro, as cidades de interior geralmente possuem um custo bem menor, pela incidência de assaltos serem bem menor, por conta da criminalidade mais baixa.

Modelo do Carro

Aqui vai o principal fator que irá compor o preço do seguro automóvel. Nada mais é que o risco que será coberto pela apólice. Quando falamos de uma apólice de seguro, é um documento que sempre terá como base um risco a ser coberto, seja um carro, uma casa, uma empresa, uma vida, entre outros. E no caso de uma apólice de seguro automóvel o risco principal é o carro.

As seguradoras realizam cálculos com base no histórico de sinistralidade de determinados carros, o nome de todo o estudo por trás disto é ciência atuarial. Cada modelo de carro e versão terá preços diferentes. Se por exemplo, um carro está com alto índice de roubo por conta da venda ilegal de peças a tendência é o seguro ser mais caro.

Se um carro sofre bastantes perdas totais por conta de acidentes o seguro será maior também, como é comum acontecer isto, carros mais seguros podem ter um valor de seguro menor que carros menos seguros, por conta do custo de reparo do automóvel.

Geralmente carros a diesel possuem um valor de seguro mais alto, principalmente picapes, por conta do alto mercado clandestino de peças para estes carros. No Brasil existem quadrilhas especializadas em roubar esta categoria de carro com o intuito de vender a parte mecânica do carro, pois os motores e câmbio tem um alto valor.

Classe de Bônus e Histórico de Sinistros

Aqui está uma questão é uma grande dúvida para os segurados, a classe de bônus dentro das apólices de seguro automóvel. A classe bônus nada mais é que uma classificação de pontos que nos diz a sinistralidade da determinada apólice.

Toda apólice irá começar com bônus 0, e a cada renovação deste seguro, após 1 ano, se não houver nenhum sinistro registrado, esta classe de bônus irá aumentar. Assim o desconto no seguro aumenta, então quanto maior a classe de bônus, maior o desconto no seguro. O nível máximo destes pontos é de 10.

Ou seja, para uma apólice de seguro automóvel possuir classe de bônus 10, precisa possuir no mínimo 10 anos de seguro sem sinistro. Vale lembrar que acionamentos de assistência 24h, como guincho e outras assistências não contam como sinistro. Trocas e reparos de vidros, retrovisores, lanternas e faróis quando acionados não irão influenciar na classe de bônus.

Se durante o período de cobertura da apólice tiver um sinistro, na renovação a classe será reduzida em um nível. Logo, a classe é diminuída de acordo com a quantidade de sinistros no período. A quantidade de bônus só varia na renovação da apólice, e não no momento do sinistro.

Outro fator muito importante é o histórico de sinistros que um segurado possui, diferentemente da classe de bônus, pois também é feita esta análise no seguro. Então, se um segurado teve alguns sinistros em outra apólice, teve carros furtados, colisões, seu histórico de sinistro não será dos melhores para as seguradoras.

Rastreadores e Bloqueadores

Aqui vai um item que ajuda bastante a diminuir o preço do seguro para o carro. Aqueles que já possuem algum rastreador ou bloqueador instalado e informar a seguradora terá um valor menor.

Vale lembrar que há casos que a própria seguradora solicita para o segurado realizar a instalação de um rastreador, sendo que possivelmente a seguradora que irá arcar com os custos.

Essas são as principais questões que irão influenciar no preço final do seguro para carro. Para você que ficou interessado em realizar uma cotação conosco basta clicar aqui, assim você irá inserir suas informações e iremos entrar em contato para passar as melhores cotações de seguro para o seu carro.

Cotação Seguro Automóvel

Gostou do artigo Como é calculado o valor do seguro automóvel? Compartilhe…

Continue lendo: Outros artigos relacionados

8 motivos para contratar seu seguro com a Neon Seguros

8 motivos para contratar seu seguro com a Neon Seguros Veja os principais motivos do porque contratar um seguro com...
Leia mais

O que é a Cobertura para Vidros?

Além da cobertura do casco do veículo, que irá garantir a indenização em caso de danos ao veículo, os vidros, teto solar, retrovisores, lanternas e faróis, possuem uma cobertura específica para si. Trata-se da Cobertura para Vidros, que irá cobrir essas partes do veículo caso venham a ser danificadas.
Leia mais

O que é a Cobertura contra Roubo e Furto?

Para muitas pessoas o seguro apenas contra roubo e furto é uma opção bastante interessante, visto que para alguns veículos e perfis o seguro completo (cobertura compreensiva) se torna uma opção bastante cara.
Leia mais