fbpx

Porque está faltando carro no mercado automotivo?

Com peças e carros caros, e subindo cada vez mais. Descubra o porque após a pandemia está faltando carro no mercado automotivo.

Segundo a Federação Nacional de Veículos Automotores (Fenabrave), só no primeiro trimestre de 2021 foram realizadas 3,5 milhões comercializações de veículos automotores usados, que comparado ao mesmo período do ano anterior, 3,1 milhões, ocorreu aumento de 14,89 % deste tipo de transação. Já em relação aos veículos automotores novos, o cenário foi o oposto, houve queda de aproximadamente 5,5%, revelando o cenário atual da compra e venda automobilística: a falta de veículos. 

Mesmo antes da pandemia, o caminho que estava sendo trilhado já era previsível, a escassez de carros era iminente, as implicações pandêmicas só fizeram intensificar o inevitável. Mas muitos ainda se perguntam por que está tão difícil encontrar carros novos para compra ou ainda por que a demora para entregar veículos que antes eram disponíveis a pronta entrega. Entenda mais sobre a falta de carro no mercado automotivo. 

Pandemia

Um dos principais motivos pela falta de veículos em todo o mundo é a crise sanitária mundial. A pandemia que teve início em Janeiro de 2020 e que segue sem rumo até hoje impactou diversos setores da economia mundial, inclusive o automobilístico. Muitas fábricas fecharam as portas e pararam a fabricação de uma forma nunca antes vista. O mercado mundial parou, assim como todo o mundo, na tentativa de conter a crise sanitária emergente. 

Sem previsão de retorno e reabertura, muitos fornecedores deixaram reduzir ou zerar seus estoques para garantir o menor prejuízo possível. E assim tudo levou ao cenário observado hoje, falta de peças para montagem dos veículos em um mercado que começa a tomar novo impulso e aumentar o número de vendas. Em outras palavras, a pandemia está acabando, mas os impactos gerados por ela ainda continuam. 

Além da crise sanitária, a crise econômica se destacou. Muitas pessoas perderam seus empregos, tiveram seus salários reduzidos e deixaram de consumir tanto quanto anteriormente. Assim, a demanda por carros novos diminuiu muito durante este período, e só agora que as coisas começam a voltar aos eixos, o consumo retorna ao que era antes, porém controlado pela falta de mercadoria, neste caso de veículos para compra. 

Crise dos chips 

Componente essencial de qualquer carro atual, os semicondutores, também conhecidos como chips, custam entre $5 a $10 dólares, mas estão influenciando fortemente a falta de veículos no mundo todo. Esses chips são responsáveis por inúmeras funções de um carro, sendo raras as funcionalidades que não dependem destes pequenos circuitos para funcionarem. Sendo que a falta de um único semicondutor já é suficiente para parar toda uma linha de produção. 

Para entender essa crise é necessário voltar no tempo para entender as razões estruturais por trás da falta desse componente essencial. Durante o período de distanciamento social em que muitas fábricas tiveram que fechar suas portas por tempo indeterminado, os pedidos dos componentes para montagem de veículos reduziram consideravelmente. Isso porque sem ideia de quando seria possível retornar a alta produção os montadores preferiram se precaver de um prejuízo maior. 

Além disso, no cenário pandêmico o consumo por produtos eletrônicos aumentou bastante, implicando na alta produção de semicondutores focados nesta área específica. O imediatismo de consumo e o foco na tendência de produção “just in time” causaram mudanças no mercado de produção dos semicondutores e assim a chegou a crise dos chips. 

Apesar disso explicar boa parte da crise, não é o único motivo para a escassez de chips mundialmente. A maior parte da produção de semicondutores é realizada pela TSMC, cobrindo cerca de 70% da produção mundial. Além de ser quase um monopólio, a produção dos chips é um processo complexo e demorado que envolve além de questões de fabricação mas como também de cenários que possibilitam a qualidade do produto. 

Dessa forma, a produção de um único semicondutor consome grande tecnologia e tempo, são necessários laboratórios de ponta, equipados com profissionais e técnicas de última geração e sofisticadas. As salas são comparadas às salas de cirurgia, com ar condicionado, filtros de ar, isolamento de ruídos, e tudo isso não é nada barato e rápido de se providenciar. 

Os fabricantes de veículos não querem apostar suas fichas em semicondutores quaisquer, são poucas as fábricas de chips que cumprem as imposições para produção de qualidade e com as tecnologias de última geração disponíveis. Por isso, estão sem grandes opções e muito menos têm como barganhar por descontos sobre os semicondutores, e isso impacta diretamente na linha de produção de veículos, que contam com milhares de chips para a produção de um único carro. 

Escassez de peças 

Em uma ação em cadeia, a falta de semicondutores impacta na produção de outros componentes necessários para a produção de veículos. Dessa forma, os estoques estão baixos em todo o mundo e não serão otimizados de um dia para o outro. Neste momento é importante usufruir de muita paciência e esperar que a situação pandêmica se resolva o quanto antes. 

A produção está baixa e a espera por um carro novo pode chegar a quase três meses, em um cenário otimista. A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) estima que a situação comece a melhorar ainda no fim deste ano e que tenha se normalizado até metade do próximo ano. No âmbito mundial, o Brasil, possivelmente, será um dos últimos países a ter o mercado automotivo restabelecido. 

A prioridade das empresas no momento vêm ficando a cargo da produção de eletrônicos, e mesmo que a demanda por carros esteja começando a subir novamente, os preços não estão convidativos à compra de novos ou usados. Neste contexto, a produção irá melhorar, mas ainda levará um tempo até que o mercado retorne ao que era antes da pandemia. 

Os Usados com o preço de novos

Com os carros novos em falta, os usados tomaram conta do mercado de vendas de carros e agora os preços podem alcançar e ultrapassar o valor de um carro 0 km. A falta dos semicondutores e a pausa das fábricas fizeram com que quem quisesse comprar um carro optasse por um usado, e na lógica de preço que varia de acordo com a demanda, o preço de um carro usado subiu no mundo todo. 

Gostou do artigo Porque está faltando carro no mercado automotivo? Compartilhe…

Continue lendo: Outros artigos relacionados

A evolução dos carros: Da sua criação até os dias atuais

Veja a evolução dos carros em todo o mundo ao decorrer dos anos, desde 1700 com uma máquina a vapor até 2021 com um Volvo autônomo.
Leia mais

Carros elétricos mais baratos do Brasil em 2022

A grande barreira dos carros elétricos no Brasil ainda é o preço, saiba quais são os carros elétricos mais baratos do Brasil em 2022.
Leia mais

Carros Elétricos vs Carros Híbridos! Qual comprar?

Descubra aqui qual carro compensa mais para você, Carros Elétricos vs Carros Híbridos. Saiba todos os pontos positivos e negativos de cada um
Leia mais